terça-feira, 21 de junho de 2016

O Tempo


A chuva está para cair; o papel amarela; o tempo nada mais é que movimento. O movimento das coisas movimenta o tempo. Eu sou o Tempo. Eu esvazio pneus de carros sem que eles sejam furados. Eu transformo urânio em chumbo bem antes do ser humano existir. Eu deixo traços. A ferrugem nos encanamentos depois que a água já deixou de evaporar. As pipas não voam sem que eu converse com o vento, sem que eu convença a luz, sem que eu esburaque a madeira. Sou o cupim do universo. Tudo o que eu faço é corroer e assim corroendo aos poucos, devagarzinho, eu vou te enganando. No papel em que você escreve a sua tese eu passo em branco, escondido... quando você menos espera eu já apaguei tudo.



Nenhum comentário: