quinta-feira, 18 de julho de 2013

Soneto de Fé

A felicidade virá, com certeza virá
Não sabemos o dia nem quando
Mas virá acesa carregada numa pira
Na forma do mais preciso encanto

Por enquanto é só desejo e solidão
Que nos morde a pele e incita de vez
Tentáculos que apertam o coração
Pontos negros costurando a tez

Não me foi dito que ela virá
Mas vem, vem de longe e vem a pé
A tal da felicidade que vem de lá

Uns acreditam sem ver o que é
Outros se esforçam pelo que há
E ambos a chamam de fé






Um comentário:

Anônimo disse...

Que lindo.. pode virar uma música.. fiquei badalando aqui na mente..
bjjjj e muita fé.