sábado, 29 de setembro de 2012

Sonhos de Violinos

Flecha de mão - sei que vou morrer amando sem amor. Sempre que tenho um sono de bêbedo me dá vontade de escrever. Psicologicamente poderia explicar este fenômeno como uma mão que agarra a flecha da hora. Ou seja: não quero dormir para não esquecer. Ou: não quero dormir para não sonhar. 

O destino de meus dedos é se machucar. Com cordas de violão, ou com açúcar em brasa. Mas me dá um orgulho tão grande machucar minhas mãos dessa maneira. As cordas do meu violão são dignas de estrelas, e os açúcares do meu tacho são dignos de maresia. Árvores gigantes protegerão meu céu e meu teto. Eu sei bem pra onde eu vou!

Adoro cozinhar. Cozinhar é igual a fazer música. Reúne-se os ingredientes, e na hora em que se acende o fogo debaixo da panela é quando começa a corrida pelo universo. Cozinhar bem é saber fazer cair na panela os ingredientes - cada um em seu devido tempo. Um erro no círculo desse tempo e vai tudo abaixo. Jogar os temperos é ter o dom da sofisticação, do sabor. Cozinhar e fazer música dependem mais do tempo que o próprio espaço-universo. E acho até que o Tempo só existe dentro da arte.

Hoje passou pela minha janela o grande urubu dourado. O único que se perfuma de jasmim, e que possui pétalas em vez de penas. E nunca defeca pois que come jamais. Expira baunilha doce, e de seu bico sai a saliva que deglute o mundo. Nele eu sentei. Com pernas cruzadas e confiantes em seu molejo. Pássaro azul rosqueado de pérolas, e azeitado por Deus, levou-me pelos campos de nuvens e se chamou Vida e Sonho.

Flecha de mão - plumas que me lavam as bochechas da cara. Sinto tanta falta do que não tive, que às vezes acho até que tive. Suas mãos limpas de anéis. Como feixes de algum material ainda não descoberto na natureza, tão suave e repousante que me convida a dormir à toa. Nunca vi tanta fartura de toque e descoberta, que com certeza nada ainda foi descoberto. Você existe, porém, come pãozinho e toma chocolate quente no meu hotel de luxo cheio de neurônios. E há de jantar comigo um dia  em grande estilo numa roda gigante em algum lago lindo do planeta. Prometo-te em meus sonhos.



Um comentário:

Renata Buzak disse...

Que grata surpresa ler a tua sensibilidade,Allan.
Parabéns!
Renata Buzak