sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Tudo


Quis ser eterno
Ser pó reluzente
O rastro sempiterno
De um mundo dormente

Quis ser vento
Destinar enchentes
Atrasar o tempo
Ter você pra sempre

Quis ser rei e aqui estou
Ao trilhar terra encantada
Velho louco me apagou

Que pena, minha amada,
Quis ser tudo
E nada sou





Nenhum comentário: