terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Peteleco

Às vezes sou um campo onde cavalos selvagens divagam sobre a vida
Devagar! Eu acordo sempre que não durmo, e sei que é longe...
Hoje o campo está florido, Deus! Mas em minha terra só há uma estação
Que seja sempre a estação das flores, e das pedras de granito azurita
Correm os cavalos, e são necessários cavalos para se cavalgar os montes
Correm cavalos, e nós em cima, ansiosos do dia em que montaremos bisão
A vida... a vida não tem mistério. Deus me ensinou: basta um peteleco.





2 comentários:

Anônimo disse...

Lo que más destaca del texto es la determinación de sus personajes y de su lenguaje....es sencillo,bien descrito y lleno de sentido y sentimiento.....deje el chocolate y las demás drogas...jeje..

Anônimo disse...

Todas estas tonterías demuestran que esta certo?......lloré un poquito más...