segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Linha

Escrevo fios e percorro linhas
Para onde eu irei
E me equilibrarei todos os dias
Pois nada é tecido
Nessa trama a que chamam vida
Pois se o que eu escrevo
É um passo decidido
Um após o outro
Vejo abaixo
Apenas o vácuo ferido
De todas as coisas feridas

A ele me entrego
Para que cuide de minhas saudades
E de tudo que sinto
Tal como, em tu,  é sentido




Nenhum comentário: