sexta-feira, 20 de julho de 2012

Com uma pequena ajuda dos amigos.

Olha pro céu - nada. No outro dia olha pro céu - nada... Um dia não olha e cai uma bolsa bem na sua cabeça. Os que sobreviveram à queda abrem a bolsa e encontram uma pedra. Ó, mágica pedra, resto, pedaço do universo, meleca de cometa, deve servir para alguma coisa. Colocaram ela em cima de um totem, e gravaram nela a frase: "Havemos de escrever algo."

Assim nasceu a História. Logo depois sofreram um dilúvio, construíram uma imensa torre, chegaram aos deuses e não encontraram nada além de um suicídio coletivo que dura até hoje. Matam-se todos, e Deus deve assisti-los, no bom sentido, é claro - nada de ajuda para tarefas nefastas. E aí veio Hércules e inventou a síndrome de Beatles, ou seja: conseguirás tudo e depois mais nada. Que merda. Mas é para poucos incrivelmente afortunados, e a turba baba desejando o que não querem mais. De que vale o sucesso se você  não tem culhão pra aguentá-lo?

Li muito comentário ababoseirado sobre a entrevista que um ator comediante (Qual o nome dele mesmo? - alguma coisa Cardoso, acho, sei lá, não assisto televisão.) no programa novo do Pedro Bial. O sujeito reclamando raivosamente sobre o abuso dos paparazzi. Porra! E nessa merda de sociedade todo mundo elogiando o sujeito, como se ele fosse Moisés atravessando o Mar Vermelho da dignidade. 




Eu acho o seguinte. Se ele não quisesse aparecer ele que não fosse ao programa - pra início de conversa. Segundo: o cara passa a vida inteira tentando fazer sucesso. É ator e perigava morrer de fome como a maioria dos companheiros da classe, e quando, enfim, dá a sorte tresloucada de conseguir ser um sucesso nacional, tem a indignidade de cuspir no prato que comeu, ou ainda come! 

Pergunto-me eu: será que ele achava que ia ficar famoso e ninguém ia querer fotografá-lo na rua, saber de sua vida, pedir autógrafos chatos, querer investigar seu sexo, etc.? Pode existir camarada tão burro assim? Quão paradoxal seria um sucesso que não atraísse os olhares curiosos? Pois pressinto que o Pedro Bial deve ter se perguntado a mesma coisa. E cá estou eu escrevendo sobre algo que não me diz o menor respeito, e que pouco me interessa, na verdade. Prova contundente de que o sucesso o atingirá, caso o consiga, pelo cu, evidentemente, ou pela frente se você for mais atento à hora certa.

Nada nesta vida possui apenas um lado bom. Tudo tem sua desvantagem. Mas ficarei feliz se um dia fizer sucesso com minhas músicas, e um turbilhão de pessoas quiser me fotografar quando estiver mijando entre andares no meio de uma viagem de elevador, como eu fazia quando criança. E se isso, por ventura, vier a sair numa revista, primeira capa, para vender e alimentar famílias de jornalistas idiotas, ficarei feliz, e não os considerarei idiotas, pois saberei inevitável o meu destino. 

Pior! Tenho certeza de que essas reclamações sustentam ainda mais uma fama falsa, ou servem para afugentar o medo, e a probabilidade que existe, de o tal ator cair nos números da parada de sucesso. 

Mundo falso esse. Protagonizado por pessoas manipuladoras de opinião. Cada um tentando garantir o seu quinhão dourado. Chutes, escarros e dedos médios em riste vendem mais do que sorrisos e agradecimentos. O Pedro Bial ficou constrangido. Ele que também faz sucesso e também é alvo de fotos desagradáveis pelas ruas da cidade. Mas ele entendeu o que acontecia. Ele viu que ali existia algo muito similar a uma pedra: o Ego. O Ego e a necessidade de na verdade SER fotografado e poder reclamar disso. Pois só xinga quem pode, xingar é poder.

Olho pra frente, nada. Olho para frente, nada. Cada vez mais nada. Até que um dia o nada venha a ser tudo. Fim podre e triste de um mundo um dia tomado pela cultura, e no outro invadido e sucumbido pelas asas dos subterfúgios. Ligo o youtube e assisto ao sorriso do John Lennon quando fotografado pelo mundo inteiro. Cansa? Deve cansar...........with a little help from my friends. Thanks GOD!

.


2 comentários:

Anônimo disse...

Procura no youtube a participação dele. Aí vc pode falar com propriedade. Vc , por ignorância, ta totalmente equivocado e pagando o maior mico aqui.

Alan Sommer disse...

Aqui é a minha casa. É o meu blog. Aqui eu falo, e "pago o mico" que eu quiser. E aceito também comentários quando me interessam. E você é muito bem vindo. Apenas, da próxima vez, deixe de ser anônimo. Seja corajoso em suas opiniões.