domingo, 4 de março de 2012

Poema fundo

Se eu pudesse, ai se eu pudesse...
Te daria todo o mundo
Mas só posso dar-te um grão de areia

E deste mundo agreste
Onde não há fores nem abelhas
Se eu pudesse inverteria as estações

Transformaria deserto
Em matas verdes, fauna, rios e monções
Inventaria jardins de pérolas em mares violetas

Largaria minhas mãos aos ventos
Desinventaria  tormentas e canhões
Regaria de ouro a aura cinzenta que me arde

Seria, eu, um pássaro a vigiar o meu país
Mas me faltam asas e só sei cair como a tarde...
...e a me olhar, a Lua escorre por minhas mãos seus grãos de areia...


& & &

Quantas rachaduras tem minha alma?
Ai, se eu eu pudesse colar-me...
Cola de farinha serviria?
Poderiam meus opostos reatar-me?
Colar minhas tristezas em minhas alegrias
seria uma descoberta merecida --
Colar, por fim, minhas mortes em minhas vidas...


& & & &


2 comentários:

claudia cristina tonelli disse...

Legal, gostei.

Love & glamour disse...

Adorei meu doce poeta!

beijos meus