quarta-feira, 7 de março de 2012

Poema de Areia

Manhãs mal dormidas
são noites partidas.
Quando se vê já se foram
embora com a vida.
Nos sapatos das pessoas.
Nas grandes avenidas.
Nos sonhos dos trânsitos,
sonhos de letargia.

Onde se esconde a noite?
-- Nos bolsos das meninas.
Onde se escondem as luzes dos postes?
-- Nas peles de parafina.
Onde se escondem os amores
quando se acorda na areia da cama vazia?


Nenhum comentário: