quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Conjuntos

Quando eu era pequeno me ensinaram sobre conjuntos na aula de matemática da escola. Conjuntos, geralmente representados de forma circular, com suas intercessões; seus círculos A e B's que possuíam uma parte comum C, e etc. Conjuntos mais complexos com A, B, C, D, E, F's e aí vai. Eu lembro bem disso. Eramos chamados ao quadro negro para identificar e pintar de giz possíveis áreas comuns A e Bs, por exemplo. Conjuntos...círculos com nomes de letras............nunca me serviram para nada.

Penso que talvez, se a escola ensinasse sua teoria dos conjuntos mais aplicada à vida futura, algumas criancinhas indefesas e ingênuas teriam, talvez algum efeito menos letárgico.. No entanto perdeu-se tempo. Como perdi meu tempo durante anos, pois que a matemática sem aplicação prática não passa de uma estátua grega. E a teoria dos conjuntos é tão idiota, que poderia bem ser ensinada em cinco minutos numa aula de faculdade, para quem realmente decidisse se tornar um engenheiro, por exemplo.

Fato é que a própria mediocridade das escolas as transformam em uma "zona de conforto". Ensinando à maioria dos alunos que basta aprender algo inútil para um futuro incerto. Existe uma maneira mais avançada  de entender o significado aplicado de um conjunto. Por exemplo na figura abaixo:



Pois tudo no mundo se resume a conjuntos. Desde seu círculo social, até o bairro onde você mora, seu país em relação ao mundo, que também é um conjunto dentro de um universo "U", por exemplo. Quando você briga com sua mãe, suas opiniões e divergências são conjuntos. Quando você bota a mão no bolso e acha zero dinheiro, e no outro encontra cem vinténs, tá aí um conjunto formado. Quando você é chifrado, nesta situação existe um conjunto. Quando você entra num taxi, quando você toca uma borboleta, quando uma abelha te pica, quando você pinta a parede de verde e a cadeira de azul. Cadeiras e paredes pertencentes a uma sala são representações de conjuntos. A vida e a morte são partes de um conjunto que pode ser chamado de conjunto "E", de existência.



Bichas, negros, brancos, homens, mulheres, homens-bichas, mulheres-sapatões, homens filhos-da-puta, homens legais, punks, sambistas, trabalhadores rurais, especuladores do mercado financeiro, a sociedade é nada mais que um conjunto que possui uma aplicação. Não é aleatório. Existe uma psiqué dentro desta matemática, que age em prol de algo complexo. No entanto nas escolas me ensinaram que o conjunto A em intercessão com o conjunto B forma o conjunto C. Grande merda...não me serviu para nada.

Porque será que nas escolas não ensinam que neste mundo complexo a coisa é bem mais simples e detentora apenas de dois círculos (conjuntos) - o da "Zona de Conforto" e o da "Vida".


Um comentário:

claudia cristina tonelli disse...

Lindo texto...repleto de sentidos... lembrei da minha parede azul e da minha mesinha verde de cabeceira repleta de meus rascunhos...ah, nisso eu viajei. Mandou bem, "as usual".