quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Buracos

Buracos... O mundo está ficando cheio de buracos. Buracos... Como ultrapassá-los? Se quando tiramos o pé de um, logo enfiamos o outro em outros....buracos.... São como a roda. Só que não foram inventados, não são uma grande ideia, e trabalham com função inversa. Enquanto rodas nos levam, buracos nos impedem. São piores que pedras, no que diz respeito a obstáculos. Buracos são vazios e nos usam para preenchê-los. Se alimentam dos nossos caminhos. Vão se espalhando e nos preenchendo de vazios.




Por exemplo: considero o Big Brother Brasil um buraco. Não importa o fato de não ser obrigatório assisti-lo. Só o fato de existir e contribuir para a a perda de tempo geral da programação televisiva, para mim, já corresponde a um buraco. Mas esse é um buraquinho.

Tem buraco que te persegue. Tem vidas que são buracos por si só. Tem pessoas que são buracos também. Tem buracos que só criam caso. Tem buracos que só criam buracos. E na realidade isso é até inevitável: um buraco gerará outro buraco. Isso numa progressão geométrica vira um buracão sem fim.

Vai ver nosso universo é um imenso buraco. Vai saber...

Mas existe também outra coisa interessante. Escadas. Escadas são inimigas dos buracos. Elas nos salvam deles. Quando menos se espera, olha a escada te tirando do inerte sei-lá-o-quê! Escadas são como colheres: básicas. O planeta será um imenso mundo ultra-tecnológico, mas buracos, escadas e colheres serão sempre insubstituíveis e sempre existirão em seus formatos primordiais. São "elementos" do cérebro humano.

John Lennon falava de buracos. Quem viu o maravilhoso desenho Yellow Submarine vai lembrar do "País dos Buracos", onde o Nowhere Man se escondia, percorrendo-os sem fim. E na obra mais sublime dos Beatles, "A day in a Life", John pergunta com quantos buracos poderia-se preencher o Royal Albert Hall de Londres. A música foi proibida por um tempo na Inglaterra.




Mas buracos não são divertidos. Buracos são feitos de personalidade. Na verdade buracos, como escadas, como colheres são personalidades próprias . Há pesssoas "buracos", pessoas "colheres", e pessoas "escadas". Mas como Deus nos deu o livre-arbítrio, podemos escolher o que somos, ou ainda mais, o quê queremos nos tornar, e ainda mais mesmo!: no quê desejamos nos modificar. Portanto um buraco pode se tornar uma escada. Basta desejar.

E o bom da vida é justamente isso. Se não existe democracia, ou plena liberdade de direito em sociedade alguma. Se tudo é utopia a ser alcançada, isso não acontece dentro de nós. Pois que dentro de cada um, existe a força necessária para se escolher ser um buraco, uma colher, ou uma escada.

Pra quem leu "A Leste do Eden", de John Steinbeck:

TIMSHELL!

(Pra quem não leu significa a abilidade que o Homem tem para escolher entre o bem e o mal.)

Graças a Deus!

2 comentários:

claudia cristina tonelli disse...

Tudo que vc faz é lindo e bem feito.

Love & glamour disse...

Maravilhoso. parabéns!

beijos querido


Gislaine P.E