sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Tristesse

Choro porque só quem vive pode chorar
Sofro, porque só quem chora pode sofrer
Calo, porque na minha solidão
Só eu entendo, só eu falo e sei falar

Choro porque tenho olhos para chorar
Minhas lágrimas corrosivas de diesel
Minhas angústias locomotivas de carvão...
Olhos também foram feitos para chorar!

Apenas sinto! Entre lágrimas não se pode enxergar...
Sinto a dor do mundo no calcanhar
Minha pele é feita de calçamento.

Minha lágrima é de luar, choro e não sei me apagar
Derramo lágrimas que ao cair me abandonam
Semeiam a merda aonde, solitárias, brotam flores


Nenhum comentário: