sábado, 21 de maio de 2011

A gente somo correto.








Vou dar a minha opinião sobre essa polêmica, já muito comumente discutida nos meios e mídias, sobre a língua "brasileira" estar evoluíndo ou involuíndo.

Primeiramente leva-se em consideração o fato de que não existe língua "brasileira", é tudo lusitano mesmo.

Mas como deve existí gente que acha que a língua brasileira pode-se afastar da de portugal, simplesmente porque é pra frente que se anda, nóis sabe bem que já diz o poeta, "cada uns na sua". Mas sendo os homens reunido e discutindo, todo mundo junto, eu acredito que alguma hora essa missigenação entre inguinorância e ignorância há de encontrarem alguma parcimônia.

Afinal, pra quê tempos verbais quando podem se ter apenas tempo verbal? Pra quê preposições, pra quê regras boba que no final das conta serve apenas pra dividí nosso povo em imbecís e imbecís cultos?

Se somos todos farinha dos mesmo saco, qual o pobrema a gente se comunicar como se comunica os dotado de línguas pobre? Pra quê tanta literatura? Pra quê tanto passado glorioso. Xô regras inútel! Pra quê Machado de Assis, Eça de Queiroz, Erico Veríssimo, Clarice, Cecília...? Pra que se empenhar em falar "nós fodemos" quando o que nós faz mesmo é se foder? Porque países fodido por fodido não precisam se empenhar em bobage como conjugações. Pros que tá na merda isso é pouca bobage.

Afinal, nós tamo bem mermo, né-não? Nós somo flamenguista memo, né-não? Nós pode e pronto! E quanto à sala de aula, danem-se. Quem quer saber de plural? Pra quem tem tanto que não consegue nem contar, pra quê se preocupar com linguage? Linguage é coisas pra ensinar pros índio. Nós não somo índio, por isso memo podemo falar como eles. Afinal, eles têm as língua deles e se viram bem nelas. E nem devem ficar discutindo tamanhas bobage, enquanto tem gente que morrem de fome, tem professor que não podem comer na sala da aula porque os estados não paga. Então pra quê toda essa bobage de discussão? Vamos falar como der na telha! Pra quê gramática? Pra quê dificultar o que são difícil pra todo mundo. O negócio é facilitarem as coisas pra quem precisa, e dane-se os outro. Nós concorda e pronto!

4 comentários:

claudia disse...

intão, num é?

Gisele Aguiar disse...

Alan, tu és uma piada, rs rs, estou morrendo de rir aqui.....Eu adoro quando tu enches o saco dos flamenguistas....aehhhh FLUZÃO, aehhhhh, FLUZÃO......
Sem comentários, ainda bem que , nós, paraenses, adoramos e sabemos ( a maioria) utilizar corretamente o "tu".
"Língua brasileira"???? Quem inventou esta expressão? Foi o Lula....com certeza....já que ele é agora Doutor Honoris Causa na Universidade de Coimbra. rs rs rs

Alan Sommer disse...

É por aí mesmo. Só falta uma lei pra todo mundo ter língua presa. :)

Anônimo disse...

eu sou framengo, pô! e vc deve ser fruminense.