quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Olimpíada sem mentiras

Sim, bebi. Bebi e tô afim de desabafar.

Mesmo que ninguém leia, fodam-se. Quero mesmo que todos se fodam. Quero que metam no cu toda a arrogância da ausência. Pra que serve um blog afinal? Não é pros outros; é pra a gente mesmo. Pra a gente desabafar e ser desconhecido. E foda-se o mundo idiota que não nos lê.

Desde que saiu a palhaçada da olimpíada no Rio de Janeiro, minha cidade de merda, eu quis escrever alguma coisa neste blog. Eu estava, inconscientemente esperando que alguma novidade batesse a barreira da grande idiotice pra ter paciência de escrever aqui, pra um público fantasma.

Que olimpíada porra nenhuma. Eu ODEIO olimpíada. Não acredito em inclusão social através do esporte. Não vejo futuro para uma molecada favelada que acha que vai se dar bem na vida sendo jogador de futebol ou recordista de cuspe à distância. Otário é o idiota que acredita nisso. Inclusão social é ensinar inglês, engenharia, física, etc. Quantos poderão ser recordistas olímpicos? E mesmo assim, que importância tem ao mundo um recordista? Quantos grandes nadadores o mercado comporta? 20? Tô de saco cheio de tanta palhaçada. De tanto amigo inteligente achando que olimpíada é o máximo. Porra! Vão se foder! Caiam na real! Enquanto tem gente morrendo na fila do SUS, o "Brasil" está decidindo quem vai roubar mais na preparação das olimpíadas. Olimpíada de merda. O Rio nem tem, nem terá infraestrutura pra uma olimpíada. Decepção corre minha mente: acho que alguém da Dinamarca deve ser corrupto. Porque o Brasil? País de merda. Pobre por escolha. Pobre de espírito, porque a sociedade inteligente acredita que a solução está numa "olimpíada". Vão se foder todos vocês, cuspidores à distância.

Pelo menos uma coisa boa. Os imóveis vão valorizar.

Até!

Um comentário:

Sobre a EAB de Recife disse...

Nem sei como vim parar aqui. olha que nem bebo, nem bebi... é que faço viagens inter blogs o tempo todo, e seu link tava chamando atenção pelo nome.E esse tema, confesso, também me incomoda, essa vibração de bundalele, sem medir as consequencias reais do futuro, isso me deixa muita pessimista no ser humano em geral... rs o esporte pode salvar? a arte pode, a música? a educação por todas as vertentes, isso pode salvar...

boas divagações!

Roberta