segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O tempo não há

O tempo não existe
O tempo está parado
Apenas nós, os ladrões do tempo,
O roubamos a cada passo
Com nosso movimento
Giramos a incrível esfera
Gastamos o concreto com nossos sapatos
A massa da nossa terra
Desgastamos
Cozinhamos o pão
Comemos e morremos
Alerta, irmãos, alerta!
Não há quarta dimensão!
Há apenas o tempo que não existe
E aquele que nós fazemos

Um comentário:

Poesia aos gritos disse...

O tempo, o tempo, o tempo! Raio de tempo!
Um beijo e um queijo,
Claudia Gomes!